Cleane Gourmet
Incentivando-a-autonomia-dos-seus-filhos-830x450

Desenvolvendo a autonomia na cozinha

Autonomia é um termo de origem grega cujo significado está relacionado com independência, liberdade ou autossuficiência.

Em Educação, a autonomia do estudante revela capacidade de organizar sozinho os seus estudos, sem total dependência do professor, administrando eficazmente o seu tempo de dedicação no aprendizado e escolhendo de forma eficiente as fontes de informação disponíveis.

Mas como ser autônomo?

Eu vivi algumas experiências que me ajudaram a desenvolver minha autonomia. Pra começar sou a filha mais velha de cinco irmãos, portanto sempre tive a responsabilidade de auxiliar minha mãe nas tarefas domésticas e nos cuidados com os irmãos mais novos. Certa vez ela precisou viajar e eu fiquei responsável por cuidar da família e isso incluía as refeições diárias. A minha maior dificuldade era pensar o que fazer todos os dias, para  as duas refeições principais: almoço e janta. Eu sempre gostei de fazer coisas diferentes, testar receitas, me arriscar no novo e aquele momento era ideal.

Um certo dia eu resolvi preparar um frango cozido. Fui ao supermercado comprei o frango inteiro. Na hora de cortá-lo foi o grande desafio. Virava o frango para um lado, para outro e não conseguia. Por fim desisti, embrulhei o frango e congelei para minha mãe resolver quando voltasse.

Sem dúvida nenhuma esses dias foram de grande importância para que eu desenvolvesse minha autonomia. Tomar a decisão do que fazer, como fazer e saber a hora de parar. Não consegui… mas tentei! Autonomia exige isso; tempo, esforço, motivação, necessidade. Ser autônomo exige atitude.

Atualmente falamos muito em dar autonomia para os filhos, em sermos autônomos. Mas não podemos esquecer que para que sejamos independentes, precisamos ter motivação, atitude e não ter medo de arriscar. A autonomia nos leva a tentar e nas tentativas podemos errar ou acertar. Faz-se necessário deixar nossos filhos tomarem suas próprias decisões, deixá-los errar faz parte do processo de aprendizagem e da construção de autonomia.

10 de setembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Formada em Pedagoga pela Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), sempre fui apaixonada por educação e pela arte de ensinar. Mas descobri uma paixão: a gastronomia. Estudo muito sobre esse universo e me especializei na cozinha profissional e internacional pelo IGA (Instituto Gastronômico das Américas).

Daí veio a receita infalível:
Misturar, com muita criatividade, alegria e amor, o tempero da Gastronomia e Educação na dose certa!

Incentivando-a-autonomia-dos-seus-filhos-830x450

Desenvolvendo a autonomia na cozinha

Autonomia é um termo de origem grega cujo significado está relacionado com independência, liberdade ou autossuficiência.

Em Educação, a autonomia do estudante revela capacidade de organizar sozinho os seus estudos, sem total dependência do professor, administrando eficazmente o seu tempo de dedicação no aprendizado e escolhendo de forma eficiente as fontes de informação disponíveis.

Mas como ser autônomo?

Eu vivi algumas experiências que me ajudaram a desenvolver minha autonomia. Pra começar sou a filha mais velha de cinco irmãos, portanto sempre tive a responsabilidade de auxiliar minha mãe nas tarefas domésticas e nos cuidados com os irmãos mais novos. Certa vez ela precisou viajar e eu fiquei responsável por cuidar da família e isso incluía as refeições diárias. A minha maior dificuldade era pensar o que fazer todos os dias, para  as duas refeições principais: almoço e janta. Eu sempre gostei de fazer coisas diferentes, testar receitas, me arriscar no novo e aquele momento era ideal.

Um certo dia eu resolvi preparar um frango cozido. Fui ao supermercado comprei o frango inteiro. Na hora de cortá-lo foi o grande desafio. Virava o frango para um lado, para outro e não conseguia. Por fim desisti, embrulhei o frango e congelei para minha mãe resolver quando voltasse.

Sem dúvida nenhuma esses dias foram de grande importância para que eu desenvolvesse minha autonomia. Tomar a decisão do que fazer, como fazer e saber a hora de parar. Não consegui… mas tentei! Autonomia exige isso; tempo, esforço, motivação, necessidade. Ser autônomo exige atitude.

Atualmente falamos muito em dar autonomia para os filhos, em sermos autônomos. Mas não podemos esquecer que para que sejamos independentes, precisamos ter motivação, atitude e não ter medo de arriscar. A autonomia nos leva a tentar e nas tentativas podemos errar ou acertar. Faz-se necessário deixar nossos filhos tomarem suas próprias decisões, deixá-los errar faz parte do processo de aprendizagem e da construção de autonomia.